Por que o cachorro faz cara de culpado?

Publicado em 14/06/2017

É fato que muitas vezes assumimos que nossos cães se sentem culpados pela maneira de agir quando os pegamos fazendo algo que eles não deveriam fazer. Esse olhar de culpado feito por eles é algo frequentemente percebido como um reconhecimento canino de transgressão ou como uma expressão de remorso. Mas na realidade, o olhar de culpado do seu cão significa algo muito diferente. Ele pode parecer culpado depois de fazer algo errado, mas ele provavelmente está apenas reagindo à sua resposta.
 
Como é um cachorro culpado

A postura de um cão pode ser traduzida como culpada em virtude dos movimentos abaixados e inseguros que lembram os de um ser humano quando se sente envergonhado e arrependido. O cão quando se sente culpado, pode esbugalhar os olhos e piscar com mais frequência, e também pode ser que evite o contato com os olhos ou abaixar a cabeça e olhar para você com os brancos de seus olhos expostos.
 
Ele pode colocar as orelhas para trás, mais perto da sua cabeça. Ele pode lamber os lábios e bocejar, abaixar a cauda e afundar no chão em um movimento de esconder-se. É possível que se afaste da cena do crime, como se estivesse muito envergonhado pelo que fez e não consiga enfrentar as consequências.
 
Mas o olhar culpado do seu cão pode não indicar culpa nenhuma; em vez disso, é mais provável uma reação à resposta de um ser humano ou raiva. Dois estudos, um liderado por Alexandra Horowitz e outro por Julie Hecht, descobriram que quando um cão é confrontado por um proprietário irritado ou perturbado, é mais provável que ele apresente o olhar culpado, independente da culpa ou inocência real.

Cachorros sabem que estão fazendo algo errado?


No estudo de Horowitz, um petisco foi colocado na frente de um cão. O proprietário pediu para ele não comê-lo e, em seguida, saiu do quarto. Horowitz deu alguns petiscos, mas não outros. “Em alguns testes os proprietários foram informados de que seu cachorro tinha comido o petisco proibido; em outros, eles foram informados de que seu cão se comportou corretamente e não tocou no petisco”, relatou a ScienceDaily em 2009. Não foi dita necessariamente a verdade aos proprietários se seus cães tinham comido os petiscos ou não.
 
O estudo de Hecht foi semelhante: os cães participantes foram deixados sozinhos com uma mesa de comida que lhes foi dito para não mexerem. Alguns cães comeram a comida, enquanto outros a ignoraram. Hecht e seus colegas observaram então como os cães cumprimentaram seus proprietários quando retornaram à sala. “Nós não encontramos nenhuma diferença nas saudações entre os cães que comiam o alimento e os cães que não”, escreveu em um ensaio de 2014 para The Dodo. “Nem os proprietários foram capazes de dizer se seus cães tinham comido a comida em sua ausência”.
 
Em ambos os estudos, as reações culpadas dos cães não estavam relacionadas às suas ações. Horowitz concluiu que o comportamento dos cães estava diretamente ligado às reações de seus donos à situação. Em outras palavras, a condição que evocou a resposta culpada não era a compreensão de um cão sobre sua transgressão, mas sim o conhecimento de que ele estava sendo repreendido por seu dono.
 
Por que os cães agem como culpados?


Os cães são observadores afiados do comportamento humano e tem mostrado interesse em interpretar os gestos humanos, como apontar, ainda melhor do que os primatas. Quando um ser humano parece chateado, um cão, muitas vezes, responde com gestos de apaziguamento projetados para diminuir a raiva e custear qualquer agressão possível. Esse comportamento pode incluir tentativas de parecer menor e não ameaçador, como encolher, abaixar a cabeça ou olhar para baixo.
 
Esses gestos de apaziguamento são mais prováveis de aparecer quando um cão está sendo repreendido. Mas alguns aprendem a conectá-los a situações específicas, como um acidente com suas necessidades ou papel rasgado, com o comportamento irritado ou chateado do dono. Quando isso acontece, um cão pode exibir gestos de apaziguamento (culpado) para adiar uma repreensão ou palmada.
 
Acreditar que um cão é culpado por causa da maneira que ele age pode ter efeitos prejudiciais em ambos, cães e proprietários. Isso cria a expectativa de que um cachorro pode racionalizar, moralizar e controlar a si mesmo de uma maneira que um ser humano faria em uma situação semelhante. Quando um cão falha ao viver do jeito que seu proprietário quer, o proprietário pode se sentir justificado em ficar chateado com o cão por falta de conformidade. Mas rotular um cão como culpado coloca a culpa nele, que deve “saber melhor”, e diminui a responsabilidade do proprietário pelo comportamento do cão.
  
Abandone a ideia de que seu cão se sente culpado, e ao invés disso, reconheça que ele está se sentindo inseguro e ameaçado no momento. Ensine seu cão qual é o comportamento correto, e quando ele o fizer, recompense com carinhos e petiscos. É de grande importância saber realizar esses feitos, pois educar seu filhote da maneira certa faz com que ele seja um bom cachorro. A conduta de seu cão melhorará proporcionalmente com o relacionamento dele com você. Seu melhor amigo o tem como ídolo, então proteja-o e faça com que ele se sinta importante e valioso para você.

A Revista Pet em Foco tem como objetivo debater e informar sobre os mais diversos assuntos voltados para os animais de estimação, com um foco maior nos cachorros.

  
Endereço: Rua Conselheiro Galvão, 68 - Jaraguá - Belo Horizonte - MG
Telefones: (31) 2552-2525/3441-2725/99998-8686
Email: pet@emfocomidia.com.br

Pet em Foco - Todos os Direitos Reservados - Desenvolvido por SITEFOX